segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

"O mio babbino caro", Maria Callas e Florença


video

O vídeo que estou postando hoje é da ária O mio babbino caro, da ópera Gianni Schicchi (1918) de Giaccomo Puccini, interpretada pela lendária soprano Maria Callas. Estou estudando (e "apanhando" ...) a obra em minhas aulas de canto lírico.

Tenho assistido muitas performances no youtube para me inspirar, mas gostei muito desta. Neste concerto, Maria Callas já está mais velha (ocorreu em 1973, 4 anos antes de sua morte) e com a voz danificada, de modo que encontrei muitas críticas pela falta de técnica na execução da obra.

A minha escolha foi baseada na dramaticidade, na emoção que esta interpretação me causa. Aprendi que ao cantar devemos colocar muito sentimento, devemos puxar lá de dentro da gente, colocar todo o coração para tocar aquele que escuta. Acho que foi isto que fez dela uma artista tão idolatrada, pois além do talento para o rápido aprendizado e versatilidade, ela era uma ótima atriz.

A ópera Gianni Schichi é única ópera cômica que compôs Puccini, com libretto de Forzano, baseado no canto XXX do Inferno, da Divina Comédia de Dante, em ato único. A ária O mio babbino caro é muito conhecida, já tendo sido interpretada por várias sopranos famosas. Na ária de que falo, a personagem Lauretta, preocupada que uma briga entre a sua família e a de Rinuccio, seu amado, possa influenciar a relação dos dois, diz ao pai que deseja casar-se, e que caso não consiga realizar sua vontade, vai cometer suicídio.

É interessante quando uma obra da música cita nomes de lugares, nos transportando para o cenário em que ocorre. É o caso aqui. A letra da música cita a belíssima Ponte Vecchio (ponte velha) de Florença, na Itália, de onde a moça diz que vai se jogar para morrer no rio Arno. Esta ponte em arcos medievais é famosa por abrigar uma grande quantidade de lojas (principalmente ourivesarias e joalherias). Acredita-se que existe desde a Roma antiga, quando era de madeira, mas foi destruída inúmeras vezes com as frequentes inundações do Arno. Em 1345 foi definitivamente reconstruída. Na segunda guerra mundial a ponte foi poupada. Ao longo dela há vários cadeados, devido a um ritual de namorados: ao trancar o cadeado e jogar a chave ao rio, os amantes estariam eternamente ligados. Isso levou a um acúmulo absurdo de cadeados, que tinham que ser removidos com frequência, de forma que o município estipulou uma multa de 50 euros para quem fosse pego em flagrante colocando cadeados.

Apesar do tom de ironia e hipocrisia em que a ária está inserida, como peça avulsa ela me remete à sensação de drama, em que o auge da fala, quando Lauretta ameaça suicidar-se (do 0:44 ao 1:02 no video), é também a parte melódica e harmônica mais bela da peça, pensada com perfeição por este gênio da ópera Giacomo Puccini.

O mio babbino caro
ó meu papai querido
Mi piace è bello, bello
Eu gosto dele, ele é lindo
Vo´ andar in Porta Rossa
Irei a rua Porta Rossa
A comperar l´anello
Para comprar o anel de casamento
Sì, sì, ci voglio andare
Sim, sim, eu quero ir
E se l´amassi indarno
E se amá-lo fosse em vão
Andrei sul Ponte Vecchio
Iria ao Ponte Vecchio
Ma per buttarmi in Arno
Mas para me jogar no (rio) Arno
Mi struggo e mi tormento
Eu me torturo e me atormento
O Dio vorrei morir!
Ó Deus, queria morrer!
Babbo pietà, pietà (2x)
Pai tenha piedade, piedade.

Imagens no post: Ponte Vecchio - Lancelot Theodore Turpin de Crissé -; Ponte Vecchio e Rio Arno, Florença- Toscana-Italia - fotografia de Steve Vidler.

9 comentários:

  1. eu gosto bastante de música clássica, não especificamente de ópera, as adoooooro o som do piano e eu sou fã de Mozart =)

    ResponderExcluir
  2. Costumo dizer que boa a boa música ultrapassa as fronteiras do tempo, do território e do idioma. Você a sente e gosta ou não. É assim meu relacionamento com a ópera umas me agradam outra não.Mas, convenhamos que ter Florença como cenário é estimulante, me faz viajar para os tempos da corte dos Médici.

    ResponderExcluir
  3. Paty, realmente qdo ouvimos uma musica, pricipalmente clássica conseguimos perfeitamente sentir a emoção de quem canta, se canta com a alma !!! Lindo post !!
    Sobre os cadeados, em Praga e em Trieste, Italia, já vimos a mesma tradição, O AMOR É LINDO MESMO !!! bjs e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  4. Ah eu gosto de música clássica também.
    Nao conhecia essa que você indicou.
    Valeu.

    ResponderExcluir
  5. Uma das minhas frustrações é não ouvir música clássica. Não dá tempo: ampo tantas bandas...
    Mas tentarei começar um hábito.
    Parabéns pelo post gata.

    bj
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  6. Nossa seu blog é muito bom, é tão fora do padrão de blog de coisas idiotas para dar risada. Parabéns de verdade

    ResponderExcluir
  7. Querida Patty
    Maria Callas foi uma cantora e atriz maravilhosa, veja a performance dela em "Medeia " de Pasolinni. Uma mulher madura, elinnndaaa. mais velha que Jasao o seu amado no filme, mas maravilhsoa, cuja presença enche a tela. Jasao é o povo da razao, e MEDEIA É O POVO DO ESPIRITO. A bruxa apaixonada que trai seu povo, pelo amor e depois, abandonada, comete a maior crueldade que uma mulher pode cometer, amor e ciume... vale a pena ver !

    com relação a opera, bem...vi coisas maravilhosas no teatro municipal de sao paulo... lembro de uma moça Rosanna... qeu cantou nas bodas de figaro... bom, lembranças sensacionais... vaelu por me traze-las.
    Ibere

    ResponderExcluir
  8. Callas e´ incomparavelmente maravilhosa!!! Não gosto, por ex, do perfil de Anna Netrebko,pois ela força a barra com sensualidade, a fim de se perpetuar. Há um vídeo em que pula, dança, entrega flores para homens que estão acompanhados com suas mulheres, que ficam constrangidas. Ela é insuportável!!! Prefiro a cantora Sissel, na atualidade.

    ResponderExcluir