terça-feira, 21 de setembro de 2010

Ah! primavera chegando...


Ipê amarelo - Brasil


"Não importa o quão longo seja o inverno, depois dele sempre virá a primavera." Provérbio

"A ciência nunca criou um agente tranquilizante tão efetivo como um dia ensolarado de primavera." W.Earl Hall


Tulipas - Holanda


"O dia em que Deus criou a esperança, deve ter sido o mesmo que que criou a primavera." Bern Williams
"A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la." Cecília Meireles


Cerejeira - Japão

"Chega a primavera, e com ela o espetáculo do desabrochar das flores que comprova: vale a pena cultivar o melhor e florescer para a vida." Viviane Duarte

"Primavera não é uma simples estação de flores, é muito mais, é um colorido da alma." Jaak Bosmans


Dedaleira - norte da Europa

"A estações são o que uma sinfonia deveria ser: 4 perfeitos movimentos em harmonia uns com os outros." Arthur Rubeinstein

Orquídeas - Brasil

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

200 anos do nascimento de Frédéric Chopin em 2010

Continuando a sequência de homenagem que tenho feito pelos 200 anos de nascimento do compositor Frédéric Chopin, deixo o vídeo da 7a. Valsa, uma das peças que mais gostava de tocar, e que era a favorita da minha avó materna (sempre me pedia para tocá-la).

Esta valsa é a segunda do op. 64, sendo que a primeira é a famosa Valsa do Minuto. Consiste em 3 temas: (1) tempo giusto, ou andamento " normal", (2) tempo rápido e (3) tempo lento. A sequência destes temas segue a seguinte ordem: 1-2-3-2-1-2. A obra foi trilha sonora de filmes como Valsa com Bashir, O Albergue Espanhol e Ao Lado da Pianista, e também do seriado Desperate Housewives.

A imagem que escolhi acima para representar o post foi desta estátua de Chopin em Varsóvia, rodeada por este lindo campo de rosas, já que também esta flor era a preferida da minha avó.

video

sábado, 11 de setembro de 2010

Mary Cassatt e a maternidade



Jovem mãe no jardim

Mary Cassatt (1843-1926) foi uma grande pintora americana impressionista, que participou do famoso grupo de impressionistas franceses que tentavam quebrar a hegemonia da arte acadêmica (Monet, Degas, Pissarro, Renoir e Morissot) no final do século 19. Obteve lugar próprio dentro deste grupo por representar cenas entre mães e filhos, motivo pelo qual escolhi fazer um post sobre a mesma, devido à minha condição de grávida pela 1a. vez. Ela pintou diversas cenas de mães com seus filhinhos, estou aqui apenas colocando alguns exemplos. Se gostar, dê uma olhada no Google imagens e verá várias outras pinturas dela com este tema.

Criança pegando uma maçã

café-da- Manhã na cama

Depois do banho


Pequena menina apoiando-se no joelho da mãe


Carinho de Criança

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Retratos de Jean-Auguste Dominique Ingres


Madame Moitessier (1856)

Em 29 de agosto de 1780 (há exatos 230 anos) nascia o pintor francês Jean-Auguste Dominique Ingres. Atuou na época que se encontrava entre o período neoclássico e romantismo, e encontrou em sua época períodos de fracasso e grande sucesso. Hoje em dia é considerado um dos nomes mais importantes da pintura do século XIX. As suas obras mais conhecidas são os seus retratos e nus femininos. Devido a excelente qualidade técnica e por respeitar profundamente a tradição clássica e os mestres do passado, foi um dos maiores representantes da pintura acadêmica, após a morte do seu mentor Jacques-Louis David. Deixo aqui para apreciação alguns retratos realizados por ele, para destacar a perfeição que conseguia imprimir nas feições assim como nos ítens que representavam sua época, como peças de vestuário e tecidos. Se algum dia puder visitar o Museu do Louvre em Paris, não deixe de admirar as (enormes) obras deste fabuloso pintor.

Retrato da Princesa de Broglie (1853)

Napoleão no seu trono imperial (1806)

Comtesse de Haussonville (1845)

Madame de Sononnes (1814)